Notícias

Tocantins perde um líder nos direitos humanos

03/01/2018 20h08 - Atualizado em 12/01/2018 12h35
Créditos: Divulgação/Reprodução
Dom Heriberto Hermes morreu nesta quarta-feira, 3 de janeiro

A OAB-TO (Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins) lamenta a morte de Herbert John Hermes, o Dom Heriberto Hermes, 84 anos, bispo católico do Tocantins referência na luta pelos direitos humanos. O religioso morreu nesta quinta-feira, 3 de novembro, após falência múltipla dos órgãos.
Para a CDH (Comissão de Direitos Humanos) da OAB, o Tocantins e o Brasil perderam um líder que jamais abdicou defender as pessoas naquilo que elas têm de mais sagrado – a vida.

Dom Heriberto veio para o Brasil em 1962. Ordenou-se padre beneditino em 1960 e Bispo em 1990, em diversas vezes falou da sua missão: “Quando aceitei ser bispo da Prelazia de Cristalândia, resolvi usar todos os poderes, o prestigio etc. de um bispo em favor dos pobres. A Igreja deve atuar em favor dos pobres ser a voz dos sem voz e a vez dos sem vez.”

Dom Heriberto, logo que se tornou bispo, iniciou uma luta para criar um Centro de Direitos Humanos na Prelazia de Cristalândia, devido às inúmeras violações de Direitos Humanos que existiam naquele momento. “ Desde a sua fundação em 15 de setembro de 1994, o Centro de Direitos Humanos vem atuando na defesa, garantia e promoção dos Direitos Humanos, sempre tendo o nosso querido Dom Heriberto como líder maior”, destaca texto divulgado nesta quinta-feira pelo Centro de Direitos Humanos.

Para a OAB-TO, Dom Heriberto deixa um grande legado que precisa e deve ser defendido. (Com informações do Centro de Direitos Humanos de Cristalândia)